Arroz-doce

86b05dd2efe1be79d8cc01132366b343ce0041a2863feb0532f89efb8ebe9cde

“Em 2003, arqueólogos coreanos afirmaram ter descoberto o mais antigo arroz do mundo cultivado.[4] A época indicada, que remonta há 15 mil anos, desafia a visão aceita de que o cultivo do arroz se originou na China há cerca de 12.000 anos atrás.[4] Estes resultados foram recebidos com forte ceticismo pela comunidade científica,[5] e os resultados e sua divulgação têm sido citados como sendo impulsionados por uma combinação de interesses nacionalistas e regionais.[6]Em 2011, um trabalho conjunto da Universidade de Stanford, da Universidade de Nova York, da Universidade Washington em St. Louis e da Purdue University forneceu a evidência mais forte de que existe apenas uma única origem de arroz cultivado, no Vale do Yangtzé, na China.[7][8]

Obrigado Wikipedia por começares esta publicação.

Toda a gente sabe que adoro arroz. Eu digo sempre que as minhas comidas preferidas são bananas, arroz, batatas e pizza. Sim, é estupido. Eu sei. Mas, por esta altura, já devias ter percebido que sou um idiota.

Há alguma coisa de especial no arroz. É possível fazer literalmente de tudo com ele. Pode ser cozinhado de 1001 formas diferentes. Doce ou salgado, amargo ou ácido, não existe absolutamente nenhum tipo de comida que diga que não ao arroz. A Joana às vezes até pede arroz para acompanhar o sushi.

Arroz-doce sempre foi a minha sobremesa preferida. Era algo que me indignava quando era criança. Como era possível que o mesmo arroz que servia para acompanhar os bifes ao jantar, fosse bom com leite e açúcar de sobremesa? Só pode ser alguma espécie de poder mágico das avós. Mas sabe bem. Até aos dias de hoje ainda não me decidi se gosto mais dele quente ou frio. É por isso que rasp sempre o tacho quando acabo de fazer. Assim como sempre das duas formas.

Arroz-doce

Ingredientes:

1 Cup de Arroz carolino (arroz arborio ou carnaroli para risotto também serve)

6 Tâmaras (sem caroço)

1 Litro de Leite de Arroz (ou outro leite vegetal)

1 Limão

1/4 Cup de Açúcar Mascavado

1/2 TSP de Cúrcuma em pó (açafrão-das-índias)

1/2 TSP de Baunilha em pó (ou 1/2 vagem de baunilha)

Pitada de Canela em pó (ou 1 pau de canela)

Instruções:

  • Retira a pele ao limão. Tenta não apanhar muito aquela parte branca porque é mais amarga. Só queres mesmo a zeste;
  • Lava o teu arroz;
    • Mais uma vez, eu sei, seu sei, lavar o arroz retira parte do amido e bla, bla bla. Man, eu gosto de lavar tudo aquilo que como. Se o pó e sujidade não te incomodam e preferes preservar o precioso amido do arroz, então não o laves;
  • Despeja o leite num tacho;
  • Atira com o arroz, casca de limão, tâmaras, açúcar, cúrcuma, baunilha e canela lá para dentro;
  • Se as tuas tâmaras não forem daquelas moles e sumarentas, é boa ideia esmagá-las bem com um garfo, ou até mesmo picares bem com uma faca, antes de juntares ao leite;
  • Mexe bem a cena;
  • Tapa o tacho e deixa ferver em lume médio;
  • Quando ferver, mexe outra vez;
  • Deixa cozinhar em lume brando durante cerca de 20 minutos;
  • Vai espreitando e mexendo de vez em quando;
  • Se reparares que o arroz necessita de mais líquido, junta mais 1 pouco de leite ou água;
  • Quando estiver pronto, retira as cascas de limão e serve em taças assim de tamanho coiso;
  • Polvilha com canela e ’tá safo;
  • Come quente ou frio;

13996269_1153604464714663_733619800357569561_o

Instagram-logo-full-official facebook idc013613.gif youtube_android_app_logo_google_play_screenshot.jpg tumblr-logo.png snapcode

Segue-nos nas Redes Sociais!

E carrega nessas Cenas Verdes!

Captura de ecrã 2016-08-02, às 14.29.31

Breakdown Calórico:

(1 serviço é 1/4 da receita)

Dica: Um arroz integral de grão curto faz esta receita ainda mais saudável

Azul – 87% Hidratos

Vermelho – 9% Gordura

Verde – 4% Proteína

Ajuda IMENSO se comentares ou partilhares esta receita 🙂

2 thoughts on “Arroz-doce

  1. Responder

    […] sei se já falei disto anteriormente, mas os meus doces preferidos são arroz-doce e bolo-rei. Como sempre disse, sou um moço de gostos simples. E tipicamente portugueses, acho eu. […]

  2. Responder

    […] Se estavas à procura de uma versão saudável do tradicional arroz-doce de sobremesa, já existe no blogue; […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Scroll to top
%d bloggers like this: