Batido de Pêssego e Framboesas

 

“Farfalho, kunami, funimi, katuki e mereketé.”

Não me lembro da primeira vez que bebi um batido. Para dizer a verdade, não me lembro sequer de saber o que era um batidoquando era criança. Lembro-me de ouvir falar em milkshakes nos filmes americanos, claro. Mas tenho a certeza de que nunca tinha ouvido a palavra smoothie. Ainda nos milkshakes, nunca percebi a cena de beber batidos de gelado, fruta e natas batidas com uma refeição. Experimentei pela primeira vez num american diner em Lisboa (do que não não me lembro o nome) e deixou-me tão enjoado que nem sequer consegui gostar do hambúrguer. Ainda assim, parece uma forma espetacular de adicionar 1200 kcal a uma refeição já nada saudável. 81654c8dad9ce23e9dd27079b5de50a3

Afinal lembro-me da primeira vez que bebi um batido – foi num ginásio. Quando comecei a “dar no ferro”, há uns bons anos atrás, também comecei a beber batidos de proteína. Foi provavelmente a primeira vez que ouvi falar de batidos. Nessa altura, no meu universo, um batido resumia-se a proteína whey dissolvida em água ou leite magro.

Não foi senão quando deixei de ser um proteinaholic que comecei a interessar-me por um estilo de vida mais saudável e a apreciar fruta novamente. Batidos foram o próximo passo.

Actualmente posso dizer que é muito raro começar um dia com outra coisa senão um batido. É o pequeno-almoço oficial cá de casa quase sete dias por semana. Se o pequeno-almoço não é um batido, provavelmente o almoço vai ser. Isso ou uma taça de fruta tamanho familiar. Pode ser coisas da minha cabeça, mas eu sinto-me diferente quando a minha primeira refeição não inclui montes de fruta. E, coisas da nossa cabeça ou não, a Joana diz o mesmo.

Pessoalmente, além da mistura de sabores infindável que se consegue, sou um grande fã de batidos por dois motivos:

  1. É uma forma prática, rápida e eficaz de consumir uma boa quantidade de fruta diariamente, mesmo para pessoas super ocupadas que não têm tempo de tomar o pequeno-almoço em casa;
  2. Existe sempre a possibilidade de adicionar verdes (kale, espinafre, rúcola, etc.) aos teus batidos e, dependendo da quantidade, provavelmente nem vais dar por eles (o que nem conta como um ponto a favor para mim, porque eu gosto do sabor dos verdes nos batidos);

Batido de Pêssego e Framboesas

Ingredientes:

2 Chávenas de Leite de Soja
400 gr. de Framboesas congeladas
1 Colher de Sopa de Manteiga de Amêndoa (bem cheia)
Mão cheia de Kale
7 Pêssegos

Instruções:

  • Lava e descasca os pêssegos;
    • Gostas dos pêssegos com pele? Então deixa a m*rda da pele e para de chorar…;
  • Corta os pêssegos em pedaços
  • Atira com todos os ingredientes para dentro do liquidificador;
  • Tritura;
  • Bebe;

raspberrypeachsmoothie

Instagram-logo-full-official facebook idc013613.gif youtube_android_app_logo_google_play_screenshot.jpg tumblr-logo.png snapcode

Segue-nos nas Redes Sociais!

E carrega nessas Cenas Verdes!

captura-de-ecra%cc%83-2016-10-06-as-12-15-29

Breakdown Calórico:

(1 serviço é metade da receita)

Azul – 67% Hidratos

Vermelho – 20% Gordura

Verde – 13% Proteína

Ajuda IMENSO se comentares e partilhares esta receita 🙂

Sugestão: Serve o batido com granola ou müsli 🙂

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Scroll to top
%d bloggers like this: