Caril Thai de Abóbora e Grão

 

Caril de Abóbora e Grão estilo Tailandês

Então mas caril não é Indiano?

Caril ou curry, é o nome dado à mistura de especiarias utilizada na base do prato com o mesmo nome. A mistura de especiarias utilizada varia bastante consoante o país ou cultura.

Na Índia é mais comum utilizar-se especiarias secas para fazer a base do caril. Em algumas culturas é mesmo tradição cada família desenvolver a sua própria mistura de caril em pó. Os ingredientes mais comumente utilizados são o açafrão-das-índias (que é importante não confundir com o verdadeiro açafrão!), folha de caril (murraya koenigii), cardamomo, sementes de coentro, gengibre, cominhos, cravinho e canela, tudo seco. Estas especiarias são normalmente moídas em pó e depois misturadas em quantidades que diferem muito de receita para receita. Pimenta caiena, pimenta da Jamaica e outros tipos de pimenta são também ingredientes muito utilizados, conforme o tipo de caril em questão, daí uns serem bem mais picantes do que outros.

Já na Tailândia, o caril é normalmente feito com ingredientes frescos. Diferentes tipos de malagueta fresca, erva-princípe, galangal, gengibre, alho, chalotas, folhas de lima kaffir, raízes de coentros e muitas vezes até pasta de camarão. Estes ingredientes são normalmente batidos num almofariz de pedra, até se transformarem numa pasta grossa.

Cuspir Fogo

Lembro-me da primeira vez que fiz caril estilo tailandês. Até então só estava habituado ao perfume das especiarias do caril indiano.

Não me interpretem mal, o caril indiano também pode ser extremamente picante, mas o normal é ser mais adocicado e perfumado, repleto de sabores diferentes por causa de todas as especiarias secas.

Já o caril tailandês, pela utilização de ingredientes frescos ao invés de secos, tem normalmente um sabor bastante mais poderoso. O picante predominante das malaguetas pode atingir-te como um soco no estômago.

Num verão já bastante distante, trabalhei com o meu amigo João numa barraca de praia. Aos domingos costumavamos fazer caril de frango com amendoins, estilo tailandês. Na altura eramos mais miúdos e tinhamos a mania de que comida super picante era para verdadeiros machos.

A primeira vez que fiz caril tailandês para os meus amigos, eu e o Diogo acabámos o jantar de boxers, as meninas não passaram da primeira garfada e acabei por fazer uns bifes de frango para o Midário.

A primeira vez que fiz caril tailandês para a minha família, nem o meu pai conseguiu comer. E ele gosta da sua boa dose de piri-piri. No dia seguinte, levei o resto da comida para o café do meu tio, lá na ilha, e nenhum dos amigos do meu pai, tudo homem de barba rija, conseguiu comer.

Actualmente também prefiro a comida bem menos picante. Até a Joana prefere a comida mais picante do que eu. A meu ver, quando a comida é picante demais, perde-se o resto dos sabores. Ainda assim, compreendo que em certas culturas, de tão habituados que estão à comida picante, tenham desenvolvido tamanha tolerância e vício.

A receita de hoje tem um equilíbrio harmonioso entre o fresco, picante e doce. Se gostas de cuspir fogo, podes sempre adicionar mais malagueta.

Ingredientes:

1 Cebola Roxa
3 Dentes de Alho
1 Pimenta-malagueta
2 Cm de Gengibre
1 Pau de Erva-princípe (lemongrass)
4 ou 5 Folhas de Lima Kaffir
1 Molhe de Coentros com raíz
800 gr. de Abóbora
450 gr. de Brócolos (limpos)
2 Chávenas de Grão-de-bico cozido
1 Colher de Chá de Cominhos moídos
2 Colheres de Sopa de Sementes de Mostarda
1 Colher de Sopa de Sementes de Coentro moídas
1 Colher de Chá de Óleo de Coco
1,5 Colheres de Sopa de Açúcar mascavado
250 ml. de Leite de Coco
3 Chávenas de Caldo de Legumes (ou água)
Molho de Soja

Instruções:

  • Pica o alho, cebola, gengibre e malagueta;
  • Pica os coentros e reserva-os;
    • Se os teus coentros tiverem raiz, pica a raíz à parte;
  • Em alternativa, caso tenhas um almofariz, podes esmagar o alho picado, cebola, gengibre, malagueta e raízes de coentros até formar uma pasta;
  • Corta a abóbora em cubos;
    • Se estiveres a utilizar abóbora hokaido, podes utilizar a casca e tudo;
  • Prepara os brócolos;
    • Sim, preparar quer dizer cortar o pé e separar em pedaços pequenos;
  • Num tacho bem quente, frita o alho e as sementes de mostarda em óleo de coco;
  • Quando o alho estiver douradinho, junta a cebola, o gengibre, a malagueta e as raízes de coentros picadas;
  • Deixa refogar, sempre mexendo, até a cebola estar douradinha e tenra;
  • Junta o açúcar mascavado e deixa refogar mais um pouco;

caril 1

  • Junta o caldo de legumes, abóbora em cubos, folhas de lima kaffir, erva-príncipe, cominhos e sementes de coentros;
  • Deixa cozer um pouco, até a abóbora começar a amolecer;
  • Quando a abóbora já estiver quase cozinhada, junta os brócolos, grão-de-bico e leite de coco;
  • Deixa cozinhar até que os brócolos estejam tenros;

caril 2

  • Tempera com molho de soja a gosto;
  • Serve com coentros picados, acompanhado por arroz de jasmim, branco ou integral;

caril 3

Segue-nos nas Redes Sociais!

E carrega nessas Cenas Verdes!

caril 4 caril 5

Breakdown Calórico:

(1 Serviço = 1/4 da Receita)

Azul – 57% Hidratos

Vermelho – 32% Gordura

Verde – 11% Proteína

Nota:

  1. A quantidade de sódio vai variar muito consoante o caldo de legumes (se tem sal ou não) que utilizares e a quantidade de molho de soja utilizados;
  2. Estes valores correspondem só mesmo a um serviço desta receita, sem arroz;
  3. Esta receita é bastante calórica e rica em gordura devido ao leite de coco. Não é algo que aconselharia a alguém que queira perder peso;

 

Deixar uma resposta