Lasanha de Cogumelos e Courgette

 

Lasanha de Cogumelos e Courgette

lasanha 1

Confraternizar

Eu gosto de reuniões familiares. Gosto de ter a família toda sentada à mesa. Gosto de comer, beber e conviver com aqueles que me são mais chegados. Sou muito ligado à minha família, aos meus amigos, às minhas origens. E é isso, essa confraternização familiar, uma das heranças culturais que mais aprecio nos povos do sul da europa.

A minha família é particularmente numerosa. No almoço de Natal, no dia 25, somos muitos à mesa. Desde pequeno, sempre apreciei muito essa tradição familiar. Em parte pela comida, mas principalmente por ser um pretexto para juntar toda a gente. Não sou religioso nem crente e muito menos faustoso. São os momentos com a família aquilo que realmente me interessa no Natal.

Tradição

Todos nós somos, de alguma forma, influenciados e moldados por aqueles que nos rodeiam. Contraímos hábitos, absorvermos costumes e criamos tradições. É inerente à nossa existência. É impossível aprendermos e evoluirmos sem sermos influenciados. São os nossos costumes que nos tornam humanos.

Quando era miúdo, algo que me irritava um pouco, era o facto de introduzirem pratos estrangeiros nas refeições de Natal. Eu adorava (e adoro) tradições, especialmente as que envolviam comida. Para mim Natal era caldo verde, bacalhau cozido com grão, feijoada de litão (não é leitão, é mesmo um prato de peixe tradicional da minha terra), bolo-rei e trutas de batata-doce e abóbora-chila. Nunca consegui compreender porque é que a minha tia costuma fazer lasanha no Natal, mas muita gente na minha família espera ansiosamente por esse prato.

À medida que fui crescendo, deixei de levar tanto a peito a tradição e passei a preocupar-me mais com o desperdício. Começou a fazer-me confusão todo o desperdício que havia no Natal. Tanto presente, tanta comida, tanta bebida, tanto dinheiro gasto, para quê? É triste que seja preciso tantos arranjos só para conviver com a família.

Se acompanhas este blogue, é fácil presumir que a tradição gastronómica, especialmente no Natal, já pouco me diz.

Relatividade

Bom, não penses que estou maluco, aqui a falar do Natal quase no final de Março. Se bem que tem estado a nevar aqui em Bergen e ao que parece também está um frio de Inverno em Portugal. Mas esta publicação não tem nada a ver com o Natal.

A verdade é que nos últimos anos apercebi-me de como a tradição consegue ser extremamente prejudicial para a nossa evolução. Se por um lado ensina-nos tanto sobre o passado, por outro é também uma âncora. A maior parte das tradições são inofensivas, mas outras são altamente violentas e retrógradas. Não vou entrar em debates, mas lgumas tradições (vulgo touradas em Portugal e Espanha, vaquejadas no Brasil, massacre das baleias-piloto nas Ilhas Faroé, entre muitos outros) são tão bárbaras que me fazem pensar no quanto Einstein estava correcto quando propôs que o tempo era relativo. O tempo é relativo em todos os sentidos. O nosso próprio pensamento não vive constantemente na mesma era.

Tradição é umas das melhores desculpas para perpetuar os nossos erros.

Desculpem toda a retórica, mas caso ainda não te tenhas apercebido, nós nascemos com um cérebro tão grande por uma razão e uma razão só – é que dá jeito utilizá-lo.

Se lasanha, para ti, tem de ser com carne picada e queijo, então estás com azar. Eu chamo-lhe lasanha na mesma, tu podes chamar-lhe o que quiseres.

Ingredientes:

350 gr. de Folhas de Lasanha Integrais
4 Cogumelos Grandes
1 Courgette
5 Alcachofras
2 Chávenas de Molho de Tomate
125 gr. de Espinafre
1 Dose de Queijo Mozzarella de Caju
Pão Ralado
Orégãos
Sal
Pimenta Preta
Noz-moscada

Instruções:

  • Corta os cogumelos, courgette e alcachofras em fatias;
  • Espalha um pouco de molho de tomate no fundo de um pirex, ou outro tipo de tabuleiro fundo o suficiente para montares a tua lasanha;
  • Cobre o fundo do tabuleiro com folhas de lasanha;
  • Forma uma camada de cogumelos, outra de courgette, outra de alcachofras e outra de espinafres;

lasanha 1

  • Tempera cada camada com sal, pimenta preta e noz-moscada;
    • Não abuses do sal, especialmente se o molho de tomate que estiveres a utilizar já for bem temperado;
  • Continua formar camadas com molho de tomate, folhas de lasanha e os vegetais, até encheres o tabuleiro;
  • Termina a última camada com folhas de lasanha;

lasanha 2

  • Prepara o queijo mozzarella de caju (tal como explicado na receita da pizza) e espalha-o pelo topo do tabuleiro;
  • Polvilha com um pouco de pão ralado e orégãos;

lasanha 3

  • Cobre o tabuleiro com folha de alumínio e leva ao forno a 200ºC durante cerca de 45 minutos;
    • Com a ajuda de um palito, é fácil verificar se a massa e os vegetais já estão bem cozinhados;
  • Quando a massa e os vegetais já estiverem cozinhados, remove a folha de alumínio e leva mais 15 minutos ao forno, para gratinar;
  • Serve no prato ou enfarda directamente do tabuleiro mesmo;

lasanha 4

lasanha 5

Segue-nos nas Redes Sociais!

E carrega nessas Cenas Verdes!

lasanha 6

lasanha 7

Breakdown Calórico:

(1 Serviço é 1/3 da Receita)

Azul – 66% Hidratos

Vermelho – 15% Gordura

Verde – 19% Proteína

Nota:

Eu comi esta lasanha toda em 3 vezes, portanto os valores equivalem a uma dose, mas eu julgo que para a maior parte das pessoas, a receita dê para 4 doses :p 

 

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Scroll to top
%d bloggers like this: