Papas de Milho

Quando eu tinha 12 ou 13 anos, a minha banda preferida era KoЯn. Não sei porque é que isto vem ao acaso, mas pareceu-me interessante começar esta publicação sobre papas de milho, com um trocadilho com a palavra inglesa corn, que significa, obviamente, milho.

Não teve piada nenhuma, eu sei. Mas é uma boa forma de ocupar espaço nas publicações, quando não estou inspirado. Além disso, é verdade.

Xarém

Um dos pratos mais característicos da minha região é, sem dúvida alguma, o xarém.

Se não és português, provavelmente nunca ouviste falar de xarém. Ou, se calhar, és português mas também nunca ouviste. Nesse caso, eu explico-te. Mas não deixes de sentir-te envergonhado por seres estúpido.

Quando eu era miúdo, eu ficava extasiado só de pensar em comer xarém. Quando o meu avô aparecia com patas-roxas em casa, eu já sabia que ia haver xarém.

Existem vários pratos de xarém, no Algarve, sendo os mais conhecidos o xarém de amêijoas ou o xarém de conquilhas, mas lá em casa, a minha avó fazia muitas vezes xarém do caldo da caldeirada de peixe.

Milho traçado

Xarém é um prato feito à base de farinha de milho – é esta a definição que irás encontrar se pesquisares na internet. Mas a minha avó insiste que o xarém faz-se com milho traçado, não é com farinha de milho.

Quando a minha avó era miúda, os ilhéus (caso sejas novo no blogue, eu sou natural da Ilha da Culatra, o pedaço de terra mais bonito deste planeta) trocavam peixe, marisco e outros animais com os agricultores de Olhão e outras localidades. Em troca recebiam batatas, couves, fruta, arroz e outros vegetais e cereais.

O milho traçado é uma moagem grossa do milho, que normalmente não é tão pouco peneirado. É um processo barato e pouco trabalhoso e por isso é habitualmente alimento dado a galinhas e outros animais.

Dizem os antigos que havia muitos animais na Ilha, não é como hoje em dia. As pessoas compravam milho traçado para dar às galinhas e aos patos, mas não eram eles os únicos a comer. É que o milho traçado era (e é) mais barato que a farinha de milho e se era bom para as galinhas, também era bom para os ilhéus.

Isto nunca ouvi da minha avó, ela só me diz que o xarém faz-se com milho traçado, não é com farinha de milho. Mas eu já ouvi estas histórias da boca de outras pessoas mais velhas. Estas histórias de os ilhéus trocarem alimento com os agricultores. O resto eu deduzo. Não é difícil.

A verdade é que o milho traçado faz um xarém tão bom ou melhor do que a farinha. MUITO melhor, na minha opinião. Mas eu sou suspeito – eu cresci a comer xarém feito com milho traçado.

Ainda hoje, a minha mãe e a minha avó vão à praça e se não houver milho traçado, não dá para fazer xarém.

Papas de Milho

Eu juro que até há uns anos atrás, eu não fazia ideia de que se comia papas de milho doces. Para mim, papas de milho era xarém! É verdade que a minha bisavó costumava comer papas de maizena com açúcar, mas eu nem sequer sabia que maizena era amido de milho, quando era pequeno.

Eu falo muitas vezes de coisas que aprendi na escola de hotelaria. É verdade que aprendi muita coisa sobre comida, simplesmente porque frequentava um curso de cozinha. Mas esta não foi a única razão. Cresci muito culturalmente, também pelo ambiente diversificado da escola. É que se até à data eu só tinha estudado em escolas frequentadas maioritariamente por alunos naturais de Olhão ou arredores, a escola de hotelaria do Algarve era completamente diferente. Havia alunos de todo o país. A grande maioria eram algarvios, é verdade, mas havia malta do norte, alentejanos, alfacinhas, gente de todo o lado, mesmo. E as diferenças culturais eram, obviamente, enormes. Aprende-se muita coisa num ambiente assim. Foi assim que descobri que papas de milho, também se comem doces.

Eu adoro papas de aveia. São parte integrante da minha dieta, quase diariamente. Também gosto de papas de quinoa, millet ou arroz, mas já há algum tempo que andava a pensar nesta receita. Não queria fazer papas de milho com farinha de milho ou milho traçado, até porque demora muito tempo a cozinhar, mas ainda assim, queria fazer algo saudável e com alimentos pouco processados.

Acho que estas papas de milho vão agradar a muita gente.

Ingredientes:

570 gr. de Milho doce cozido (enlatado)
6 Tâmaras
2 Chávenas de Leite Vegetal
2 Colheres de Sopa de Linhaça moída
1 Colher de Chá de Açafrão-das-índias
1/2 Colher de Chá de Cardamomo moído
1/2 Colher de Chá de Gengibre em pó
1/4 de Colher de Chá de Cravinho moído

Instruções:

  • Prepara-te psicologicamente para uma receita tecnicamente complicada e psicologicamente esgotante;
  • Remove o caroço às tâmaras;
  • Escorre o milho;
  • Atira com o milho, tâmaras e leite para dentro do liquidificador;
  • Tritura tudo;
  • Despeja o conteúdo num tacho;

Milho 1

  • Junta o açafrão-das-índias, cardamomo, gengibre e cravinho;
    • Se não gostas de algum dos condimentos, morre;
      • Ou então não utilizes;
  • Junta também a linhaça moída;
  • Cozinha em lume brando, sempre a mexer;
    • O milho costuma borbulhar violentamente, se não mexeres;
    • Se fores massoquista, mete a cara dentro do tacho e espera pela jorra do geysir de milho quente;
  • Quando estiver grossinho e quentinho, serve em taças, com os teus toppings preferidos;
  • Também podes deixar arrefecer e comer frio – fica com uma consistência tipo pudim;

Milho 2

Milho 3

Segue-nos nas Redes Sociais!

E carrega nessas Cenas Verdes!

Milho 5

Breakdown Calórico:

(Por Porção = 1/2 da Receita)

Azul – 74% Hidratos

Vermelho – 17% Gordura

Verde – 9% Proteína


Nota:

  • Os valores da tabela nutricional correspondem a uma dose (metade da receita), sem quaisqueres toppings;


Gostaste da receita?

Ajuda IMENSO se comentares ou partilhares com os teus amigos 🙂

Deixar uma resposta