Open post

Pedaços de mim

Bicicleta nunca foi o meu forte. Acho que só aprendi a manobrar tal veículo quando já tinha 10 anos. Mas aprendi a nadar bem cedo. Nem me recordo quando, para dizer a verdade. Não me lembro de não saber nadar.

Não sou filho de peixe. Mas filho do mar certamente. Todos na minha família são pescadores, mariscadores, ou têm algum negócio ligado ao mar. Segundo consta na história (ou no meu primeiro album de fotografias e curiosidades), a primeira gargalhada do Paulinho foi quando o peixe escorregou das mãos da avó enquanto ela o amanhava. Cenas.

Read moreMore Tag
Open post

Granola com Especiarias

Davas-me um pacote de cereais e eu era uma criança perigosa. Acho que comia sempre quase meio pacote de uma vez. Por issbox-cereal-lucky-charmso é que me tornei um puto gordinho. Havia alguns que eram praticamente proibidos lá em casa. Choco Krispies era um desastre nas minhas mãos. É que aquela m*rda desaparecia no leite quente. Perdia a “crocância” em segundos. Claro que eu voltava a meter mais. Era difícil não comer mais de meio pacote daquilo.

Read moreMore Tag
Open post

Manteigas de Frutos Secos (Castanhas)

Pão com manteiga. Ou, como se diz na minha terra, “pam c’mantêga”. Quem é que não gosta? Eu adorava. Como já disse repetidas vezes, sempre fui um rapazolas de gostos muito modestos. Uma fatia de pão caseiro com bastante manteiga, acompanhado de um belo cacho de uvas era certamente um dos meus snacks favoritos. Aliás, reza a lenda que o outro fugiu de casa com uma fatia de pão com manteiga e um cacho de uvas. Tenho a certeza que safou-se.

Read moreMore Tag
Open post

Arakas me Aginares – Ervilhas (Griséus) com Alcachofras

Cenas à parte, todos os meus pratos preferidos tinham um componente em comum em destaque – uma proteína animal. Sim, eu não sou vegano porque gostava menos de carne ou de peixe do que tu. E não, não sinto falta, seja lá o que isso signifique. Mas apesar de os produtos animais terem desaparecido da minha alimentação, o fascínio por certos alimentos continuou. Continuo a adorar tachadas com feijão, repolho e batata-doce, continuo a comer grão, mesmo sem bacalhau e continuo o maior fã de griséus. E as sardinhas que fiquem lá com as cenas delas.

Read moreMore Tag
Open post

Bolo Crú (RAW) de Cenoura e Chocolate

Eu sou português. Não sou nacionalista, nem pouco mais ou menos. Sei cantar A Portuguesa porque aprendi na escola. Não fico enfurecido porque existem brasileiros a representar a selecção nacional de futebol. Tão pouco acho que representar a selecção nacional de futebol seja o derradeiro acto de patriotismo. Sou português porque nasci em Portugal. Podia ser outra coisa qualquer. Mas, como qualquer bom português, os meus gostos foram moldados na minha infância. Especialmente no que toca a comida.

Não man. Não consigo. Eu já provei muito bolo de cenoura com queijo-creme. Vegano e não vegano (Sim, eu não nasci vegano. Surprise, surprise). Não vou dizer que é mau. É bom. Mas bolo de cenoura é com cobertura de chocolate.

Read moreMore Tag

Posts navigation

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13
Scroll to top